Turismo

SANTUÁRIO DO SENHOR BOM JESUS DE MATOZINHOS
Endereço: Praça Bom Jesus - Centro

Construção iniciada em 1921, no mesmo local onde havia uma capela do século XVII. Desta primitiva capela restou apenas o material que reveste as colunas de sustentação da nave. O templo atual, inaugurado em 1929, foi projetado pelo Padre Italiano Sebastião Scarzello, que também era médico e engenheiro. A construção foi uma tentativa de reproduzir os traços e a organização do espaço interno de uma igreja existente em Milão, Itália.

A edificação destaca-se em relação ao casario e dimensões da cidade pelas suas proporções monumentais. O partido em T mostra claramente a tentativa de cópia das igrejas renascentistas italianas com elementos flagrantes deste estilo de época europeu, porém adaptados aos materiais e sistemas construtivos regionais. Apresenta átrio de grandes dimensões, dividido em cinco ambientes que correspondem aos elementos da fachada. Sua planta apresenta eixo de simetria. O Santuário é o que possui o maior número de janelas da América Latina.

Tem valor religioso e cultural regional, sendo o Santuário um centro de peregrinação que atrai, todos os anos, durante o Jubileu do Sr. Bom Jesus, em setembro, considerável número de visitantes.

IGREJA DE SÃO JOSÉ
Endereço: Praça Carlos Martins Sobrinho, s/n

Trata-se de um remanescente de arquitetura colonial, situada num terreno de esquina, Praça Carlos Martins Sobrinho com Rua Waldemar Pezzini, com a porta voltada para a praça.
A igreja é uma das primeiras edificações do povoado que deu origem a Matozinhos, sabendo–se apenas, pelos relatos do local, que sua construção se deu ainda no século XVIII.
Faz parte do primeiro ciclo de desenvolvimento da cidade que culminou com sua elevação a freguesia em 23 de agosto de 1823, através de alvará imperial. Nela foram sepultados dois padres de nossa paróquia: Padre João Joaquim do Carmo e Padre Fernando Taitson.

CAPELA DO ROSÁRIO
Endereço: Praça do Rosário – Cruzeiro

Não há informações oficiais sobre a Capela do Rosário, segundo informações locais, sua edificação se deu na primeira metade do século XX.
Esta ligada às manifestações culturais e religiosas do local.

É a segunda igreja mais antiga do município. Trata-se de uma capela simples, como em geral o são aquelas erigidas em homenagem a Nossa Senhora do Rosário, a fachada principal apresenta portada com verga reta e folhas de abrir almofadada, duas pequenas janelas não originais em tela na altura do coro de abrir as cegas. Óculo central na empena. Telhado em duas águas com telhas curvas.

IGREJA DO ROSÁRIO
Endereço: Praça Santa Cruz – Cruzeiro

Pequena capela de inspiração colonial, construída no final da década de 1980, na Praça Santa Cruz, no bairro Cruzeiro. 

É uma construção simples, seu interior possui um altar e apenas dois bancos laterais. Sua construção externa retrata uma tentativa de copiar o estilo das igrejinhas coloniais, com traços orientais, um corpo principal e uma torre sineira central, em cima por uma cruz, em sua frente, uma praça com bancos, jardins e canteiros laterais e um cruzeiro.

É onde se comemora, todos os anos, no último domingo do mês de agosto, a Festa de Nossa Senhora do Rosário, com grande concentração de pessoas. Os festejos, que se estendem por três dias, recebem no domingo, último dia da festa, diversas guardas de congo de cidades vizinhas.

FAZENDA DA JAGUARA
Endereço: Estrada Matozinhos / Funilândia

Fundada em 1714, às margens do Rio das Velhas, sua história está ligada ao ciclo do ouro. A fazenda, localizada no Distrito de Mocambeiro, foi sede do chamado “Vínculo da Jagoara”, que se constituiu em um dos mais importantes estabelecimentos rurais do período Brasil Colônia.

Além da sede, abriga diversas construções como: casa de agregados, dependência de marcenaria, carpintaria, engenho, moinho d’água, galpões, cocheiras, com destaque para as ruínas da Igreja de Nossa Sra. da Conceição.

RUÍNAS DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA JAGUARA

Localizada na Fazenda da Jaguara a Igreja de Nossa Senhora da Conceição teve a construção iniciada em 1786 e concluída em 1796. Ela constitui um dos mais extraordinários exemplares da arquitetura religiosa mineira localizada em área rural e uma das poucas obras do barroco totalmente atribuída ao mestre Aleijadinho, desde a construção até a confecção do mobiliário.

No princípio do século XX, em 1910, a Fazenda da Jaguara foi vendida para o superintendente da Cia. Morro Velho, o inglês George Chalmers, protestante e sem apreço pelas tradições brasileiras doou, altares e ornamentos à Matriz de Nossa Senhora do Pilar, de Nova Lima, onde estão até hoje, outras peças foram doadas a igrejas da região e muitas se encontram nas mãos de colecionadores.

Em pouco tempo, sem nenhuma manutenção e interesse em preservar, a igreja começou a cair, restando apenas às ruínas.

PRAÇA DA ESTAÇÃO/CASARIO ANTIGO
Endereço: Av. Bento Gonçalves com Av. André Favalelli

A Praça Desidério Junqueira, também conhecida como Praça da Estação, é um dos principais atrativos turísticos do município, já que reúne, no mesmo espaço, o prédio da Estação Ferroviária, inaugurado em 31/08/1895, que ainda conserva suas características originais, o casario antigo da cidade, com destaque para a casa onde nasceu Caio Martins, o “Escoteiro Padrão do Brasil”, a Igreja de Santa Terezinha e a praça, bem arborizada, com um coreto, onde ocorrem eventos artísticos e culturais, além de ser um excelente local de encontro dos moradores do bairro.

FESTA DE N. SRA. DO ROSÁRIO - MOCAMBEIRO

Festa tradicional que ocorre em agosto, no Distrito de Mocambeiro. A festa conta com a apresentação da Guarda de Nossa Senhora do Rosário e Candombe.

Durante os dias em que ocorre a festa, acontecem vários movimentos: a novena, as missas, o levantamento do Mastro, vários cortejos e as visitas aos Reis e Rainhas. 

Tendo como referência o penúltimo domingo do mês de agosto, as celebrações iniciam-se na sexta-feira com a procissão saindo da casa do Alferes da Bandeira até a igreja, onde ocorre uma missa e, logo após, o levantamento dos mastros com as bandeiras de Nossa Senhora do Rosário do Rosário e São Benedito, patrono da guarda, e em seguida ensaio geral.

No sábado, há apresentação da Guarda e do Candombe durante todo o dia e à noite há missa na Igreja de Santo Antônio. No domingo, a apoteose do evento, pela manhã, há apresentação da Guarda local, Guardas convidadas e do Candombe, à tarde acontece a missa Conga e, logo após, procissão com a participação de todas as guardas visitantes. Na segunda-feira à noite, há missa e a coroação dos novos Reis para o próximo ano.

Nas ruas adjacentes da igreja são montadas barracas para a comercialização de comidas, bebidas e artigos variados e na Barraca da Guarda, após as festividades religiosas, há shows musicais com artistas da região.

FESTA DE N. SRA. DO ROSÁRIO – BAIRRO CRUZEIRO

Festa tradicional e mais representativa do Bairro do Cruzeiro. A Festa de N. Sra. do Rosário acontece sob a responsabilidade da Guarda de Congo e é celebrada desde 1933. 

O festejo do Reinado é comemorado anualmente durante a semana que precede o último domingo do mês de agosto. A festa é composta pelas celebrações sagradas, que são desenvolvidas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, na Praça Santa Cruz, e pelas manifestações profanas, que acontecem nas ruas adjacentes. 

As festividades se iniciam com uma novena dedicada à Santa, que termina na sexta-feira, anterior ao último domingo do mês. Após o término da novena, realiza-se o hasteamento das bandeiras contendo as imagens dos principais santos de devoção da irmandade: N. Sra. do Rosário, N. Sra. Aparecida, Santo Antônio e o Divino Espírito Santo.

No sábado, ocorre o ajuntamento de Reis. No domingo ocorrem as principais celebrações da Guarda do Cruzeiro, juntamente com as guardas convidadas. À tarde, no adro da igreja, é celebrada uma missa e, em seguida, há procissão pelas ruas do bairro com os componentes das guardas visitantes e local carregando os andores com as imagens dos santos cultuados. Na segunda-feira, à noite, ocorre a coroação dos novos reis festeiros, que é a cerimônia de passagem da coroa dos Reis atuais aos Reis festeiros do próximo ano.

O adro da Igreja é ornamentado com bandeirolas de papel e nas ruas adjacentes são montadas várias barracas de bebidas, comidas, bijuterias e artigos variados.

JUBILEU DO SR. BOM JESUS DE MATOZINHOS

O Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matozinhos se constitui na festa mais tradicional e representativa do município, o evento ocorre oficialmente desde 1850, quando assumiu a Paróquia o Padre José Soares Diniz, na condição de 1º vigário. 

O Jubileu do Padroeiro do Município é comemorado anualmente em 10 dias de celebrações. Toma-se como referência a semana do dia 14 de setembro, dia da Exaltação da Santa Cruz, segundo o calendário religioso. Na sexta-feira anterior a este dia dá-se início a uma novena rezada no Santuário do Sr. Bom Jesus, que termina no sábado subseqüente ao dia 14.

No último dia da festa, no domingo, é feito o encerramento do Jubileu com missas campais e a tradicional Procissão Motorizada, com vários caminhões e sobre eles pessoas da comunidade representam as passagens bíblicas, desde o nascimento de Cristo até a sua crucificação, e sobre o último caminhão a imagem do padroeiro. A ornamentação desses veículos fica sob a responsabilidade das associações de bairros, pastorais da comunidade e escolas do município. O cortejo é sempre acompanhado de fanfarras do município e de cidades vizinhas, além da banda de música local, a Corporação Musical Sagrado Coração de Jesus.

A festa é composta pelas celebrações sagradas e as profanas, que embora estejam aparentemente separadas, se entrelaçam no decorrer do desenvolvimento do evento.

As comemorações laicas iniciam-se na quinta-feira, que antecede o domingo, último dia da parte religiosa, e termina na segunda-feira subseqüente, dia este reservado pela população local para fazer as “compras de jubileu”. Barraquinhas são montadas na Praça do Rosário e ruas adjacentes para a comercialização de produtos alimentícios e artigos variados como bijuterias, brinquedos, ferramentas, artigos de vestuários, entre outros.